Adaptação e flexibilidade têm andado juntas nos últimos meses. Ainda com os reflexos da pandemia no cenário econômico, diversos mercados tiveram transformações profundas neste período. No segmento de saúde, startups de tecnologia que oferecem soluções digitais têm se tornado aliadas de grandes empresas nessa nova realidade e apoiado na automação de processos.

Na área da saúde, a inovação tem ido muito além da telemedicina, após aprovação do Conselho Federal de Medicina (CFM). Empresas de tecnologia despontam também oferecendo soluções para melhorar a gestão dos negócios, integrando e automatizando processos. Na prática, essas soluções dão agilidade e ajudam a fornecer informações importantes para análise estratégica e tomada de decisão.

A Mobile Saúde, empresa que oferece soluções digitais para mais de 7 milhões de beneficiários de 100 operadoras de planos de saúde, foca na tecnologia para potencializar os negócios das empresas de saúde, agilizar processos e reduzir custos. Na palma da mão, as ferramentas desenvolvidas pela Mobile Saúde ganham força entre os usuários, que percebem no autoatendimento uma saída para resolver demandas com praticidade.

A mudança de comportamento é refletida em números: em média, são realizados, por mês quase 40 mil pedidos de reembolso de despesas médicas, 30 mil autorizações para marcação de consultas.

De acordo com Jean Schulz, Chief Process Officer e sócio-fundador da Mobile Saúde, a pandemia despertou nos usuários um novo perfil de consumo e exigiu das empresas a necessidade de soluções rápidas e criativas. Ele lembra que, no mercado de saúde, automatizar processos não substitui, necessariamente, a atividade humana. No entanto, para as empresas, a transformação digital serve como base para otimizar recursos e melhorar a gestão.

– Ao utilizar a ciência de dados, integrando sistemas de business intelligence e de inteligência artificial, as operadoras podem, por exemplo, cruzar informações sobre o paciente para fornecer a ele o melhor cuidado à saúde primária. Além disso, para se manter competitiva no mercado, as empresas podem usar a tecnologia para fornecer dados necessários para orientar decisões estratégicas para o negócio.

Schulz chama atenção para a necessidade de se traçar um plano para que as inovações tecnológicas alcancem o resultado desejado. Ele lembra que as soluções demandam análise das características das ferramentas que serão usadas, o conhecimento do fornecedor sobre o mercado e o planejamento estratégico para implantação.

Fonte: Saúde Business

A notícia também foi destaque em Portal Hospitais Brasil, Direito Médico Saúde e Revista Visão Hospitalar.